Agrometeorologia

Introdução

A Agrometeorologia é uma ciência interdisciplinar que estuda a influência das condições atmosféricas e suas consequências no ambiente rural. Trata da influência do tempo e do clima na produção de alimentos, fibras e energia, além de assumir papel estratégico no entendimento e na solução dos problemas enfrentados pela agricultura (MAVI E TUPPER, 2004). 

A Meteorologia, que pode ser subdividida em diversas áreas, como por exemplo, a Agrometeorologia, é o ramo da ciência que se ocupa dos fenômenos físicos da atmosfera. Essa, configurando-se como um sistema dinâmico, faz com que um dos desafios da ciência seja prever, com razoável antecedência, os resultados dessa movimentação e suas possíveis consequências. Essa parte da Meteorologia é imprescindível para tomada de decisões operacionais, principalmente nas atividades agrícolas cotidianas.

Outro aspecto importante dessa movimentação atmosférica é sua descrição estatística, em termos de valores médios sequenciais, que define o clima de um local e determina quais atividades são ali possíveis. As condições climatológicas indicam o tipo de atividade agrícola mais viável de um local, e as condições meteorológicas determinam o nível de produtividade para aquela atividade.

Condicionantes climáticos e meteorológicos da produtividade agrícola

Os fatores termodinâmicos e o meio estão intrinsecamente ligados, interagindo constantemente entre si. Na agricultura, a atmosfera, o solo, e a água fazem parte do ambiente, enquanto que as plantas, os animais, e os microrganismos são os sistemas.

Nesse contexto, a disponibilidade de energia e de água de uma região determina o seu potencial de produtividade agrícola. A energia radiante, a temperatura, e a umidade afetam o desenvolvimento e o crescimento dos vegetais, dos insetos e dos microrganismos.

Dessa forma, a estimativa da potencialidade produtiva das culturas de região é feita com modelos agroclimáticos, que também podem servir de subsídio para a previsão de safras.

Salienta-se, ainda, que os ritmos dos efeitos térmicos permitem a escolha das melhores melhores épocas de semeadura, visando ajustar o ciclo das culturas às melhores condições locais de clima, minimizando-se riscos de adversidades meteorológicas, expressando sua potencialidade produtiva. 

Além disso, as condições meteorológicas também podem afetar a fecundidade, o período de gestação e, portanto, a eficiência reprodutiva dos animais. Isso porque as condições físicas do ambiente, podem causar estresse físico por excesso ou deficiência de chuvas, por temperaturas elevadas ou baixas ou por ventos fortes e constantes. 

Para estudar a relação entre sistemas e meio, pesquisadores desenvolveram um método capaz de medir quantos graus de temperatura ocorrem durante um dia e sua contribuição, de maneira positiva, para o metabolismo dos organismos. Esse índice bioclimático foi denominado “graus-dias”. 

Conclusão 

A agricultura é uma das principais atividades econômicas que depende dos fatores meteorológicos e climáticos. As consequências adversas desses fatores podem causar diversos impactos socioeconômicos e ambientais, por este motivo, existe a Agrometeorologia. Segundo Smith (1975), a “Meteorologia Agrícola tem por objetivo colocar a ciência da Meteorologia à serviço da Agricultura em todas suas formas e facetas, para melhorar o uso da terra, para ajudar a produzir o máximo de alimentos, e a evitar o abuso irreversível dos recursos da terra.”

Referências

Angelocci, L. R.; Pereira A. R.; Sentelhas P. C. METEOROLOGIA AGRÍCOLA. Piracicaba, SP. 2007. 202p. 

MAVI, H.S.; TUPPER, G.J. Agrometeorology – Principles and application of climate studies in agriculture. New York: Food Products Press. 2004. 364p.

Smith, L.P. Methods in Agricultural Meteorology, 1975.

Ler mais em: https://cutt.ly/RhiMgVN

Gostou do artigo?

Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkedin

MAIS

Deixe um comentário

Leave a Reply