Fertirrigação

A Fertirrigação é uma técnica que permite o uso racional de fertilizantes na agricultura irrigada. É aplicada por meio do uso de fertilizantes via água de irrigação, compondo uma solução nutritiva que possibilita a redução do tempo de chegada dos fertilizantes às raízes das plantas. 

Diferente da aplicação via solo, em que os nutrientes sólidos são depositados na superfície do solo ou próximos às plantas, dependendo da chuva ou da irrigação, podendo ou não serem interceptados pelo sistema radicular, a Fertirrigação acelera o ciclo de nutrientes utilizados nas culturas.

Ademais,  a eficiência para aplicação dessa técnica, reduz a mão de obra e o custo com máquinas, além de flexibilizar a época de aplicação, podendo ser fracionada, conforme a necessidade da cultura. 

Fertirrigação
Fonte: Multitecnica
Aplicação da técnica  

Para que essa técnica possa obter sucesso, a distribuição de água nas plantas deve ocorrer de maneira uniforme, para que não haja desuniformidade na distribuição de nutrientes. Algumas características do solo, como a porosidade e os nutrientes (íon), definem os tipos de dispersão dos solutos que estão inseridos no movimento da água. Eles podem acontecer de 3 formas: 

a) convecção: processo passivo de movimento de massas líquidas com solutos dissolvidos, em que a água e o soluto movimentam-se à mesma taxa;

b) difusão: resultante do movimento desordenado de moléculas, visa equalizar as concentrações no meio poroso, onde os solutos se movem de regiões de maior concentração para a de menor concentração;

c) dispersão: dá-se pelas diferenças e velocidades da água em capilares e poros de diferentes tamanhos e formas, o que causa uma mistura (dispersão) de soluções residentes em dadas regiões do solo com soluções que entram nessas regiões.

Nutrientes utilizados no sistema

Os principais nutrientes aplicados via Fertirrigação são: nitrogênio (N), potássio (K) e fósforo (P).

Qualquer fonte de N aplicada, resulta em íons de nitrato no perfil do solo, os quais são altamente solúveis em água e não adsorvidos às partículas do solo, que os tornam altamente móveis, tanto por convecção como por difusão no solo.

O P tem suas restrições à aplicação via água de irrigação, por sua característica de adsorção à matriz do solo, com consequente baixa mobilidade e enorme possibilidade de precipitação dos fosfatos (HAYNES, 1985; CHASE, 1985).

E o K movimenta-se no solo conforme a sua concentração na solução deste e a capacidade de troca catiônica (CTC).

Manejo do sistema

A Fertirrigação envolve uma série de atividades que requer conhecimentos relativos à cultura, às condições de solo e ao manejo da irrigação.

Quando adequadamente executada, essa técnica fornece ao solo a quantidade de nutrientes necessários para atender à planta. Por esse motivo, a Fertirrigação deve ser aplicada dentro de uma frequência que favoreça a dinâmica dos íons no solo com o mínimo risco de perdas e para não causar desbalanços iônicos desfavoráveis à cultura, com impactos negativos nos atributos químicos do solo.

Nesse contexto, inicialmente é necessário o conhecimento da quantidade total do nutriente (QTN) a ser aplicado à cultura em seu ciclo. 

Vantagens do sistema:
  1. Economia de mão de obra para aplicação (sistema é auto suficiente).
  2. Economia e eficiência no uso de fertilizantes, pois estes se encontrarão na forma solúvel, sendo prontamente absorvidos pelas raízes.
  3. Controle da profundidade da aplicação, em função da lâmina de água.
  4. Menor compactação do solo e danos físicos à cultura.
Desvantagens do sistema:
  1. Alto custo inicial de implantação do projeto.
  2. Manutenção do sistema de irrigação em função de entupimento pela formação de precipitados e corrosão causada por alguns elementos.
  3. Escolha correta de fertilizantes.
  4. Requer pessoal especializado.
Referências

BORGES, Ana Lucia; COSTA, Édio Luiz da; COELHO’, Eugênio Ferreiro; PINTOS, .José Maria; NETO’, Torquato Martins de Andrade. Fertirrigação. Embrapa Semiárido, [s. l], p. 58-70, 2010.

HAYNES, R.J. Principles of fertilizer use for trickle irrigated crops. Fertilizer Research, v.6, n.3, p. 235-255, 1985.

Ler mais em: encurtador.com.br/dDIKZ

Gostou do artigo?

Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkedin

MAIS

Deixe um comentário

Leave a Reply