Hidroponia

Técnica de cultivo agrícola

A técnica de cultivo agrícola, denominada hidroponia utilizada na produção de hortaliças que não utiliza o solo. Sendo assim, o cultivo é realizado em estufas, onde o solo é substituído por água e substâncias nutritivas nela diluídas (solução nutritiva), para o mantimento e o desenvolvimento do cultivo, que circula em um sistema hidráulico, fornecendo os nutrientes necessários para as plantas diretamente nas raízes das hortaliças.

Conceito histórico

A origem desse sistema de cultivo agrícola é desconhecida, mas historiadores acreditam que sistemas como esse existem desde a época da Mesopotâmia, como, por exemplo, o jardim suspenso da Babilônia, alguns cultivos na antiga China e no Império Asteca.

Ademais, em 1940, o termo hidroponia foi utilizado pela primeira vez pelo Dr. Willian Frederick Gericke, da Universidade da Califórnia, que realizou estudos na área de fisiologia, crescimento e desenvolvimento das plantas cultivadas na ausência de solo. Dessa forma, ele cultivou frutas, cereais, flores e tubérculos em larga escala, apresentou um trabalho e aprimorou a técnica e definiu o dessa ciência.

Fases gerais de cultivo hidropônico

Na hidroponia as formas de cultivo agrícola podem ser feitas em três fases, sendo elas: germinação, berçário e crescimento final.

– Germinação:

Essa fase inicial de formação de mudas é, em geral, feita em locais separados e não necessitam de muito espaço (figura1). As sementes peletizadas (Revestimento com material inerte ao redor das sementes, com objetivo de torná-las maiores, uniformizando o formato e peso, permitindo assim o plantio em semeadoras de precisão), são plantadas e germinadas em placas de espuma fenólica.

exemplo de germinação
Figura 1: Exemplo de germinação

– Berçário:

Nessa segunda fase do cultivo hidropônico, é onde ocorre a replantação da espuma fenólica para os berçários(figura 2). Sendo assim, trata-se do momento o cultivo agrícola recebe solução nutritiva e é feito o controle de qualidade. Dessa forma, as plantas que não tiveram um bom desenvolvimento, não são transplantadas para a etapa final.

exemplo de berçário de cultivo agrícola
Figura 2: Exemplo de berçário

– Crescimento:

Nessa última etapa é de crescimento final, onde as plantas vindas do berçário ficarão até atingirem o ponto de colheita(figura 3). Assim, cada hortaliça tem o seu próprio tempo de crescimento, que depende das características e necessidades nutricionais de cada planta. Logo após a colheita das plantas ocorrem a higienização e o preparo para a distribuição no mercado.

exemplo de crescimento
Figura 3: Exemplo de crescimento

Exemplos de sistemas hidropônicos:

– Sistema flutuante:

As plantas flutuam em uma “piscina” com a solução aquosa nutritiva(figura 4). Então, em sua maioria, são apoiadas em placas de isopor com furos, exige uma grande quantidade de água e um bom sistema de aeração. Sendo assim, são recomendados para regiões de clima de calor intenso.

exemplo do sistema flutuante em cultivo agrícola
Figura 4: Exemplo de sistema flutuante

– Sistema de sub-irrigação:

A irrigação, junto a zona radicular, é realizada de baixo para cima e em intervalos de tempo determinados(figura 5). Dessa forma, entre os momentos de irrigação, praticamente toda solução volta ao reservatório. Sendo assim, estamos falando de um sistema fechado. Assim, são feitas 2-3 irrigações por dia, dependendo das necessidades das plantas e cultura cultivada.

exemplo de sistema de sub-irrigação em cultivo agrícola
Figura 5: Exemplo de sistema de sub-irrigação

Sistema NFT (Nutrient Film Technique):

Esse sistema é o mais difundido atualmente. Nele, existe um temporizador que aciona a moto-bomba de forma intermitente (por exemplo, mantendo 10 min ligado e 10 min desligado enquanto houver luz do dia) (figura 6). Ademais, existe um substrato entre as raízes, a solução circula e volta em um curto intervalo de tempo ao reservatório, que mesmo sendo pequeno tem a capacidade de atender um grande número plantas.

Funcionamento:

O manejo desse sistema é considerado simples, consistindo em: desinfecção do reservatório e dos tubos, troca total da solução, aeração.

Mas alguns cuidados são fundamentais, como uma pane no sistema elétrico ou na moto-bomba ou até mesmo o esquecimento de um registro fechado, muito comum, podendo comprometer a produção, principalmente se for num período quente do dia. Isto é, a falta de substrato faz com que as raízes ressequem com mais facilidade.

exemplo de sistema NFT em cultivo agrícola
Figura 6: Exemplo de sistema NFT

– Sistema de gotejamento:

As plantas são irrigadas gota a gota(figura 7) e existem dispositivos chamados de gotejadores, que ficam na superfície do substrato, junto ao pé da planta. Ademais, existe um temporizador que liga o sistema de irrigação de forma intermitente, que varia de 2 a 3 vezes ao dia.  Então, esses sistemas, no geral, são do tipo aberto e, neste caso, é possível utilizar vários substratos como a serragem de madeira. Num sistema fechado, como ocorre o reaproveitamento do excedente da solução aplicada, não se deve utilizar serragem pois ela é capaz o pH da solução, o que pode exigir muitas correções.

exemplo de sistema de gotejamento em cultivo agrícola
Figura 7: Exemplo de sistema de gotejamento

– Sistema de aeroponia:

Este é o sistema com a tecnologia mais avançada em hidroponia, dessa forma é o que exige a maior investimento dos produtores, nesse tipo de sistema, a solução nutritiva é nebulizada em uma câmara escura, em que as raízes estão suspensas e expostas ao ar interior(figura 8). No lado de fora da câmara, a parte aérea das plantas recebe luz solar e/ou artificial. É um sistema fechado e utiliza temporizador com sensibilidade de curtos intervalos de tempo. Entretanto, no caso de utilização deste sistema, a atenção à energia elétrica é de grande importância, sendo requisitado um gerador reserva.

exemplo de sistema de aeroponia em cultivo agrícola
Figura 8: Exemplo de sistema de aeroponia

Vantagens de um sistema hidropônico

– Melhor controle sobre a composição dos nutrientes fornecidos às plantas:

Conhecendo as necessidades nutricionais de cada plantas, é possível se organizar para fornecer a nutrição mineral adequada para as plantas. Assim, as plantas cultivadas nas melhores condições possíveis, é possível se conseguir a máxima produtividade correspondente ao potencial genético de cada espécie ou variedade;

– Menor consumo de água e de fertilizantes:

Pois, como a água é reutilizada, o ambiente protegido contribui para diminuir a evaporação e não ocorre perda por lixiviação;

– Melhor controle fitossanitário:

O cultivo de plantas em ambiente protegido gera uma diminuição drástica no uso de agrotóxicos, em virtude da barreira física formada pela tela lateral, ou seja, impede a entrada de insetos pragas e vetores de doenças.

– Dispensa rotação de cultura:

Uma espécie vegetal altamente rentável pode ser cultivada hidroponicamente indefinidamente no mesmo local sem necessidade de rotacionar a cultura, tendo em mente que ao final de cada ciclo de cultivo, todo o material é desinfectado, e no próximo ciclo de cultivo a solução nutritiva é renovada;

– Redução de riscos climáticos:

Como o cultivo hidropônico é normalmente realizado em ambientes protegidos, os riscos climáticos são muito baixos, sendo praticamente inexistentes.

– Produção fora de época:

Decorrente do uso de casa de vegetação, onde é possível controlar fatores da sazonalidade como a luminosidade, temperatura, fornecimento de água, além do fornecimento dos nutrientes minerais.

– Melhor qualidade e preço do produto:

São produtos bastante limpos pois são isentos de terra ou outros tipos de impurezas, e podemos admitir que estão praticamente isentos de agrotóxicos. Como o cultivo é feito em ambiente protegido, tem-se um melhor controle de pragas e doenças.

– Otimização do espaço disponível

– Rápido retorno do capital:

Com a levada produtividade, menor ciclo de cultivo e melhor preço dos produtos hidropônicos, contribui para se obter um bom lucro, dessa forma gerando um rápido retorno do capital investido.

Gostaria de saber mais sobre o assunto, acesse: Cultivo hidropônico de plantas

Bibliografia:

ANHAIA, Sonia Aparecida Ferreira; BORSZOWSKEI, Paulo Rogério. Reaproveitamento de resíduos gerados na fabricação de celulose e papel como substrato na hidroponia para a cultura de alface (Lactuca sativa). Revista TechnoEng-ISSN 2178-3586, v. 1, 2020.

Canal do agricultor. Conheça 5 sistemas dinâmicos para o cultivo hidropônico(2018). Disponível em:https://canaldohorticultor.com.br/conheca-5-sistemas-dinamicos-para-o-cultivo-hidroponico/. Acessado em: 12/11/2020

Gostou do artigo?

Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkedin

MAIS

Deixe um comentário

Leave a Reply