PANCs: A nova tendência do meio agro

Afinal, você sabe o que são PANCs?

A flora brasileira é referência no mundo todo por sua biodiversidade. No entanto, mesmo com toda a riqueza de plantas nativas, pouco se conhece sobre os seus recursos e utilidades na alimentação.

As plantas alimentícias não convencionais, conhecidas como PANCs, são plantas que apresentam um grande potencial alimentício, porém não são de uso comum, sendo pouco consumidas e exploradas por questões culturais e falta de conhecimento acerca de seus valores nutricionais e econômicos. As PANCs geralmente apresentam desenvolvimento espontâneo e são negligenciadas como alimento por se desenvolverem em qualquer ambiente, tais como terrenos baldios e beira de estradas.

Essas plantas oferecem um cardápio altamente nutritivo e bastante variado de verduras, legumes, cereais, frutas e castanhas, podendo ser utilizadas até mesmo como condimentos. Contudo, também podem ser consideradas PANCs algumas partes de plantas habituais que normalmente não são consumidas, como, por exemplo, o coração da bananeira.

Aliadas à procura por consumo de alimentos orgânicos e alimentação saudável, as não convencionais vêm ganhando maior visibilidade no meio agro e estão sendo inseridas cada vez mais no prato dos brasileiros. Inclusive, essas plantas alimentícias são uma ótima opção de fonte de renda para produtores da agricultura familiar.

Por muito tempo vistas apenas como “carne de pobre” e “matinho”, as PANCs são, na verdade, o cenário da soberania alimentar, através da autonomia, acessibilidade e segurança nutricional de forma sustentável, sendo assim um sistema agroecológico e democrático.

Confira abaixo algumas PANCs:

Taioba (Xanthosoma sagittifolium)
TAIOBA.png

Suas grandes folhas são comestíveis e podem enriquecer diversos pratos, em algumas regiões do país acompanham as polentas. O rizoma se assemelha ao cará e ao inhame e também pode ser consumido.

Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata)
TAIOBA (1).png

Podem ser utilizadas as folhas, flores e frutos. Rica em proteínas, por isso chamada de carne de pobre, a folha pode ser refogada e consumida como acompanhamento. Como insumo é utilizada para enriquecer pão, bolo e diversas receitas.

Peixinho da horta (Stachys byzantina)
peixinho.png

Muito cultivada no sul do Brasil e mais consumida de maneira empanada e frita. Recebe esse nome porque apresenta formato e sabor semelhante ao peixe.

Livro sobre PANCs no Brasil:
21.jpg
 Autores: Valdely Kinupp e Harri Lorenzi

Leia mais no portal da Embrapa: https://bit.ly/3elIxfO

Gostou do artigo?

Share on whatsapp
Compartilhe no WhatsApp
Share on twitter
Compartilhe no Twitter
Share on linkedin
Compartilhe no Linkedin

MAIS

Deixe um comentário

This Post Has 9 Comments

  1. Nayara

    Adorei conhecer um pouco mais sobre as PANCs. Parabéns pelo post, muito bom.👏🏽👏🏽👏🏽

  2. Larissa

    Arrasouuu, na próxima deveria ter uma degustação dessas delicinhas

  3. jessica

    Belissimo post.Adorei!!!

    1. Leocádia Beltrame

      Parabéns à Inovagro pela iniciativa do site e pelo post!

  4. Erandy

    Muito interessante, mas eu ainda prefiro o coentro rsrs

  5. Felipe

    Poxa, eu sou totalmente leigo no assunto. Nunca tinha ouvido falar sobre PANCs e o assunto abordado despertou meu interesse!
    Parabéns para a moça que escreveu!

  6. Dado Taveira

    Achei massa! Já gostava de plantas, agora vou ter mais carinho e procurar saber mais! Continua escrevendo visse? 🥰😍🥵👏🏻👏🏻👏🏻

  7. Ardelle Heinsohn

    I used to be more than happy to find this internet-site.I wished to thanks to your time for this glorious learn!! I definitely having fun with every little bit of it and I’ve you bookmarked to check out new stuff you weblog post.

Leave a Reply